Impactos socioambientais decorrentes do uso e ocupação do solo na área urbana de Laranjal do Jari – Amapá

Valter Gama de Avelar[1]

Carla de Mattos Santos[2]

[1] Doutor em Geociências e professor/pesquisador Associado IV, dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação/Mestrado em Geografia, da Universidade Federal do Amapá; Coordenador do GPGEO/UNIFAP. email: valtergamaavelar@gmail.com; homepage: http://www.valteravelar4geos.com

[2] Mestranda do Programa de Pós-Graduação/Mestrado em Geografia/PPGEO, da Universidade Federal do Amapá. email: alracdob@gmail.com

RESUMO: Este trabalho resulta da pesquisa do processo de qualificação ao Mestrado em Geografia, iniciado em 2020, no âmbito do Programa de Pós-Graduação Mestrado em Geografia (PPGEO) da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP), integrando as pesquisas do Grupo de Pesquisa GEOdiversidade do Amapá/GPGEO, no subgrupo Áreas de Riscos Naturais e Prevenção/ARNP/GPGEO da UNIFAP. Com o tema, Impactos socioambientais decorrentes do uso e ocupação do solo na área urbana de Laranjal do Jari-Amapá. Trata-se de uma pesquisa de natureza aplicada, com abordagem qualitativa e quantitativa e com análise descritiva, exploratória e empírica, orientada pelos usos de levantamentos bibliográficos, documentais e pelas coletas de dados através de observação de campo. Pretende-se identificar e caracterizar os impactos socioambientais decorrentes do uso e ocupação do solo urbano, tendo como recorte espacial, áreas de planície de inundação e planalto, situadas em Laranjal do Jari-AP (Figura 1 e 2; Vídeo 1). Para isso, serão utilizados conceitos embasados na teoria dos geossistemas, a fim de subsidiar estudos para planejamento urbano e ambiental. O município de Laranjal do Jarí situa-se na margem esquerda do rio Jarí, que possui uma extensão de 800 quilômetros e que separa o Amapá do Pará, apresentando apenas 110 quilômetros navegáveis, desde a foz, no Rio Amazonas, até a Cachoeira de Santo Antônio, no município de Laranjal do Jarí. A profundidade mínima do rio Jarí é de 2,5 metros e a máxima de 4 metros (Figura 3). O rio Jarí encontra-se sobre o regime de chuvas amazônicas (janeiro a junho), com pico nos meses de março e abril. Como recebe influência das marés, que combinadas com as chuvas naquelas épocas de pico, não raramente tem-se observado eventos de inundações em sua planície de inundação. O processo histórico de expansão do núcleo urbano de Laranjal do Jari, no sul do estado do Amapá, está compreendido em um recorte temporal entre as décadas de 1970 a 2020, sendo todo este processo marcado por inexpressivos planejamentos em obras de infraestruturas urbanas, principalmente quanto a projetos de saneamento; rede viária de mobilidade urbana; conjuntos habitacionais, dentre outros, culminando em forma irregular de ocupação do solo (Figuras 4 e 5). Esse fato agravou a ocorrência de impactos negativos, tanto ambientais, quanto sociais (Figura 6). Neste contexto, acredita-se que os conhecimentos da geomorfologia; da Hidrografia; da climatologia, frente as formas de uso e ocupação do solo, quando combinados, podem servir como um importante instrumento para a implementação de políticas públicas que visem o bem-estar social daquela população.  Os resultados serão apresentados através de mapas temáticos com a compartimentação da área urbana do município em unidades geoambientais, bem como, a caracterização das feições geomórficas e os impactos socioambientais encontradas em cada uma delas. Dados documentais, preliminares, evidenciaram impactos socioambientais (processos erosivos, movimentos de massas, inundações e alagamentos) na área estudada, que tem concorrido, desde 1970, para os riscos socioambientais a população ali residente (Vídeos 2 e 3).

Palavras-chave: Geossistemas. Inundação. Movimentos de Massa.

ABSTRACT: This work results from the research of the qualification process for the Master in Geography, started in 2020, within the scope of the Postgraduate Program Master in Geography (PPGEO) of the Federal University of Amapa (UNIFAP), integrating the research of the Research Group GEOdiversity of Amapa / GPGEO, in the subgroup Areas of Natural Risks and Prevention / ARNP / GPGEO of UNIFAP. With the theme, Socio-environmental impacts resulting from land use and occupation in the urban area of ​​Laranjal do Jari-Amapa. It is an applied research, with a qualitative and quantitative approach and with descriptive, exploratory and empirical analysis, guided by the uses of bibliographic, documentary surveys and data collection through field observation. It is intended to identify and characterize the socio-environmental impacts resulting from the use and occupation of urban land, having as spatial cutout, areas of floodplain and plateau, located in Laranjal do Jari-AP (Figures 1 and 2, Video 1). For this, concepts based on the theory of geosystems will be used in order to support studies for urban and environmental planning. The municipality of Laranjal do Jarí is located on the left bank of the Jarí River, which extends 800 kilometers and separates Amapá from Pará, presenting only 110 navigable kilometers, from the mouth of the Amazon River to the Cachoeira de Santo Antônio, in the municipality of Laranjal do Jarí. The minimum depth of the Jarí River is 2.5 meters and the maximum is 4 meters (Figure 3). The Jarí River is under the Amazon rain regime (January to June), with a peak in the months of March and April. As it is influenced by the tides, which combined with the rains in those peak seasons, flood events have frequently been observed on its floodplain. The historical process of expansion of the urban center of Laranjal do Jari, in the south of the state of Amapá, is comprised in a time frame between the decades of 1970 to 2020, and this whole process was marked by inexpressive planning in urban infrastructure works, mainly regarding sanitation projects; urban mobility road network; housing estates, among others, culminating in an irregular form of land occupation (Figures 4 and 5). This fact aggravated the occurrence of negative impacts, both environmental and social (Figure 6). In this context, it is believed that the knowledge of geomorphology; Hydrography; of Climatology, given the forms of land use and occupation, when combined, can serve as an important instrument for the implementation of public policies aimed at the social well-being of that population. The results will be presented through thematic maps with the division of the urban area of ​​the municipality into geoenvironmental units, as well as the characterization of the geomorphic features and the socioenvironmental impacts found in each one. Preliminary documentary data showed socio-environmental impacts (erosive processes, mass movements, floods and floods) in the studied area, which has been contributing, since 1970, to the socio-environmental risks to the population living there (Videos 2 and 3).

Keywords: Geosystems. Socioenvironmental Impacts. Land Use and Occupation. Laranjal do Jari-Amapá.

Figura 1 – Mapa de Localização de Laranjal do Jarí e da área de estudo
Figura 2 – Imagem aérea do núcleo urbano de Laranjal do Jarí, com destaques para a Planície de Inundação do rio Jarí e a área de Planalto. Fonte:  Disponível em: https://diariodegoias.com.br/barco-com-cerca-de-60-pessoas-naufraga-no-amapa/. Acesso em set. 2020.
Figura 3 – Imagem de satélite do rio Jarí, com destaque para a área da sede municipal de Laranjal do Jarí. Fonte: Disponível no Google
Figura 4 – Imagem aérea e planta urbana “estrutura linha de peixe” de Laranjal do Jarí. Fonte: Silva (2017). Disponível em:https://www2.unifap.br/arquitetura/files/2020/08/Silva-2017-Espinha-de-peixe-insercao-das-ideias-em-Laranjal-.pdf
Ao centro, planta Urbana de Laranjal do Jari: Lucas Batista de Avelar (adaptado de Tostes, 2009)
Figura 5 – Planta Urbana de Laranjal do Jarí e a disposição dos diferentes bairros. Fonte: Tostes (2009, adaptado por Lucas Batista de Avelar)
Figura 6 – Aspectos das inundações ocorridas na planície de inundação do rio Jari, no perímetro urbano de Laranjal do Jarí-AP. Fonte das Imagens: Disponível no Google.
Vídeo 1 – Laranjal do Jarí-Amapá…Fonte: Canal AP + 1Vídeo, por Wellington Cardoso
Vídeo 2 – Panorâmica da Enchente em Laranjal do Jari, em 2018. Fonte: Canal AP + 1Vídeo, por Wellington Cardoso
Vídeo 3 – Inundação em Laranjal do Jarí-AP, no ano de 2018. Fonte: Autor Clei Medeiros.

Como referendar esta publicação:

AVELAR, Valter Gama de; SANTOS, Carla de Mattos. Impactos socioambientais decorrentes do uso e ocupação do solo na área urbana de Laranjal do Jari-Amapá. 2021. Disponível em: https://valteravelar4geos.com/2021/02/12/impactos-socioambientais-decorrentes-do-uso-e-ocupacao-do-solo-na-area-urbana-de-laranjal-do-jari-amapa/. Acesso em: fevereiro 2021

Categorias GEOciênciasTags , , , ,

2 comentários em “Impactos socioambientais decorrentes do uso e ocupação do solo na área urbana de Laranjal do Jari – Amapá

  1. CARLA DE MATTOS SANTOS 15 de fevereiro de 2021 — 07:03

    O conhecimento acerca da relação entre as formas de uso e ocupação do solo e os processos de dinâmica natural é imprescindível para a implementação de políticas públicas de moradia e habitação. No município de Laranjal do Jari, o cenário urbano se desenvolveu, inicialmente, de maneira irregular, condicionado à situação de marginalização de uma população rejeitada pelo Projeto Jari durante a década de 70. Esta situação, combinada à geologia, à geomorfologia, à pedologia, à climatologia e à hidrogeologia locais, agrava os problemas socioambientais, mas também permite pensar em soluções importantes para a prevenção e mitigação destes impactos. Espera-se, portanto, realizar a compartimentação geoambiental da área urbana, considerando o recorte espacial das áreas de planície e de planalto e quais são as feições geomórficas e os impactos socioambientais presentes em cada uma delas.
    Muito orgulho de pesquisar para ajudar! Sigamos!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Isto mesmo Carla…Sigamos em frente com a pesquisa…temos muito a acrescentar ao GEOconhecimento e a melhor forma de uso e ocupação do solo em Laranjal do Jarí….Uma contribuição inestimável para os gestores municipal e estadual….GEOlogar É PRECISO. VIVER, NÃO É PRECISO….GEOabraço

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close