GEOgrafando PELO rioMARzonas, A PORTA DE ENTRADA NA AMAZÔNIA.

GEOgrafando PELO rioMARzonas, A PORTA DE ENTRADA NA AMAZÔNIA.

Valter Gama de Avelar[1]


[1] Doutor em Geociências e professor/pesquisador Associado III, dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação/Mestrado em Geografia, da Universidade Federal do Amapá. E-mail: valtergamaavelar@gmail.com  

INTRODUÇÃO

O rio Amazonas é também conhecido como rio Mar, diante de suas dimensões, em uma apropriação geocientífica estabeleceu-se a fusão das palavras rio + mar + amazonas, assim que surge a expressão rioMARzonas. Em 2007, uma expedição patrocinada pela National Geographic Society identificou o Nevado Mismi, no Peru— um monte de origem vulcânica, com 5.567 metros de altitude — como a nascente do Amazonas.

Com idade aproximada de 11.000.000 de anos o rioMARzonas (Rio Amazonas ou Rio das Amazonas na concepção de Francisco Pizón) faz parte da complexa engrenagem que dominou a quebra do PANGEA desde o Mesozoico (252 a 66 Ma) até o Cenozoico (66 a 0,0 Ma), Figura 1. No caso da formação do Rio Amazonas, durante a abertura do Oceano Atlântico Sul, desde 66 Ma atrás, um “braço” da JUNÇÃO TRÍPLICE (sistemas de falhas em “Y”) acabou por dar a formação do início do que hoje conhecemos como foz do rio Amazonas…PENSAR QUE ANTES…o hoje rio Amazonas derivava do centro do continente sul-americano para a borda norte, próximo onde hoje é o rio Orinoco e teve sua reorientação tal qual conhecemos pela elevação da borda oestes da Placa Sul-Americana.


Figura 1 – Massas continentais reunidas em um único Supercontinente denominado PANGEA (Gondwana, ao sul e Laurásia, ao norte) no período Permiano (298 a 252 Ma), circundado pelo superoceano denominado PANTALASSA. Fonte: modificado de Teixeira et al. (2003), arte: Lucas Batista de Avelar

Foi assim, durante o Cretáceo (145 a 66 Ma), o maior rio do mundo corria do leste para o oeste, em direção ao Pacífico, e não rumo ao Atlântico, como hoje conhecemos. Acontece que quando a América do Sul se formou, depois de se desligar da África, existia um planalto, há muito desaparecido, na região onde hoje está a FOZ DO AMAZONAS (Cráton Amazônico-Escudo das Guianas??…processo colisional da Tectônica de Placas), e no Maranhão. Essa elevação foi a responsável pelo fluxo “contrário” do rio.

Desta forma, o rioMARzonas só passou a correr em direção ao “novo oceano”, o Atlântico, quando foi “empurrado” pelo soerguimento ou subida da Cordilheira dos Andes, muito tempo depois ou a 11.000.000 de anos atrás. Segundo a ciência geológica, tudo aconteceu da maneira certa para que o rio pudesse se aproveitar das condições geológicas favoráveis.

Consoante sua nascente, o Rio Amazonas tem sua origem no Peru, na Cordilheira de Vilcanota (Cordilheira do sul do Peru, no departamento de Cuzco, na cordilheira oriental andina, divisa entre o baixo Titicaca e o Amazonas, Nevado de Ausangate, com 6.384 m.

Depois, recebe nomes diferentes, como Uicaiali, Urubamba e Marañón. Após sair do Peru, passa pela Colômbia.  Entra no Brasil pelo município de Tabatinga-AM, a 60 metros de altitude, recebendo o nome de SOLIMÕES, percorrendo quase 3.000 Km em uma região de planície até chegar em seu delta flúvio-marinho e desaguar no Oceano Atlântico. Sua enorme bacia hidrográfica inclui outros países, como Bolívia, Peru, Equador, Venezuela e Guiana, Figura 2.

Figura 2 – Grande Bacia Amazônica na América do Sul, linha amarela, abrangendo os territórios do Brasil, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana Francesa, Suriname. Fonte: Filizola Jr. (2011)

Como já mencionado, no Brasil, o amazonas recebe inicialmente o nome de rio Solimões até encontrar-se com o rio Negro, nas imediações de Manaus, Figuras 3, a partir da qual passa a chamar-se de rio Amazonas.


Figura 3 – Encontro das águas dos rios Solimões e Negro, próximo de Manaus-AM, diferenças físico-químicas causam a imissbilidade dos líquidos.
Imagem Disponível em https://cdn.bloghoteis.com/wp-content/uploads/2018/01/Encontro-dos-rios-Negro-e-Solimoes-em-Manaus.jpg

A Bacia Hidrográfica Amazônica ocupa uma área total de 6.610.000 Km2, na América do Sul, dos quais 63% ou o equivalente a 3.849.300 Km2 estão situados em território brasileiro, Figura 2, (INSTITUTO MAMIRAUÁ, 2017).

A Bacia Hidrográfica Amazônica ocupa 45% do território nacional, abrangendo sete Estados (Acre, Amazonas, Rondônia, Roraima, Amapá, Pará e Mato Grosso). Possui uma extensa rede de drenagens, sendo as mais conhecidas: Amazonas, Xingu, Solimões, Madeira e Negro. Desta forma, a região amazônica concentra cerca de 81% da disponibilidade de águas superficiais do país, Figura 4, (ANA, s/d).

Figura 4 – Bacia Hidrográfica Amazônica em território Brasileiro. Salienta-se que no estado do Amapá somente os rios que drenam para o sul a partir do rio Araguari, tomam parte desta bacia. Fonte: Disponível em: http://www3.ana.gov.br/portal/ANA/todos-os-documentos-do-portal/documentos-spr/mapas-regioes-hidrograficas/amazonica-para-site-ana-a0.pdf

A medição feita por Pavkleviez (2007) diz que o Amazonas tem 7.062 km de extensão, 300 Km a mais que o rio Nilo, no Egito. No entanto, medições mais conservadoras atribuem ao rio entre 6.300 e 6.800 km de comprimento, Figuras 2, 4 e 5.

Figura 5 – A grande Bacia Hidrográfica Amazônica, em pontilhado, com destaque para a Bacia do rio Solimões, em vermelho. Fonte: Melo (2012)

De acordo com Filizola et al. (2011) o fluxo de água da Bacia Amazônica para o oceano Atlântico é de aproximadamente 6,6 x 1012 m3/ano e o seu volume é de cerca de 16% de toda água livre do mundo.

A principal fonte de sedimentos no rio Amazonas e seus principais afluentes é a erosão andina (FILIZOLA e GUYOT, 2009; FILIZOLA et al., 2011; GIBBS, 1967; MARTINEZ et al., 2009; MEADE et al., 1979). A maioria dos rios originários da Cordilheira dos Andes apresenta uma alta carga suspensa (80%) e baixa carga de leito (20%) (MEADE et al., 1985).  De acordo com Salas-Gismon et al. (2014) os recursos naturais da Amazônia são resultados de uma longa história geológica e climática, na qual os Andes desempenham um papel decisivo. Segundo os autores supra, “Sem os Andes não existiria a Amazônia”, Figura 6.

Figura 6 – Modelo topográfico Terra-Mar dos Andes e da bacia amazônica (linha pontilhada); CANA: Bacia de Ante-país Nor-Amazonense; CASA: Bacia Ante-país Amazônia; CAO: Bacia Amazônica Oriental. Fonte: Salas-Gismon et al. (2014)

Desde a sua criação até o presente, o impacto dessa cadeia montanhosa sobre o meio ambiente da região deu forma às faunas e suas sucessivas distribuições. Regulador das chuvas e da fantástica biodiversidade animal e vegetal da região, o sistema geoclimático andino-amazônico deve ser considerado como um elemento fundamental no estudo do impacto das mudanças climáticas na região.

Os rios N e Beni são responsáveis ​​por quase todos os sedimentos transportados pela Amazônia (GUYOT et al., 2007). Mais de 540 milhões de toneladas de sedimentos são transportados a cada ano na parte a montante do rio Amazonas (FILIZOLA e GUYOT, 2009; FILIZOLA et al., 2011; GIBBS, 1967; MARTINEZ et al., 2009; MEADE et al., 1979). O transporte e a deposição dessa grande quantidade de sedimentos influenciam significativamente a dinâmica fluvial dos rios da Amazônia (CONSTANTINE et al., 2014).

Desta forma, são despejados na foz do rio Amazonas para o oceano Atlântico cerca de 900 x 106 Ton/ano de sedimentos em suspensão (FILIZOLA et al. 2011), Figura 7.

Figura 7 – Dispersão e Pluma de Sedimentos em suspensão na foz do rio Amazonas. Fonte: Silveira & Santos (2006)

É em Macapá, a capital do meio do mundo, na margem esquerda do rio Amazonas (Figura 8) que as águas do rioMARzonas deságuam na foz deltaica flúvio-estuarina (Figura 9) para mais adiante na Zona Costeira Atlântica de El-Robrine e Rodrigues (2006), encontrar-se com o oceano Atlântico, lançando sedimentos que geram a chamada pluma de sedimentos do rio amazonas (Figura 7).

Figura 8 – Rio Amazonas e a orla beira rio de Macapá. Fonte: acervo do autor, jul/2018.


Figura 9 – Foz Deltaica Flúvio-Estuarina do rioMARzonas. No lado noroeste da imagem o rio Amazonas banhando a cidade de Macapá e a sudeste da imagem, o rio Tocantins. Arquipélago do Marajó ao centro. Fonte: Disponível emhttps://www.google.com/search?q=delta+do+rio+amazonas&tbm=isch&tbs=rimg:Caga23Rh9T8SIjhg

A Bacia Amazônica abriga a ictiofauna mais rica em espécies do mundo com mais de 2000 espécies conhecidas atualmente. Contudo, tradicionalmente um pequeno número, cerca de 20 destas espécies, respondem por 80% da pesca comercial (BIODIVERSIDADE, s/d). É certo que existe uma biomassa maior de peixes do que qualquer outra fonte alternativa de recursos animais ao longo dos rios Amazônicos (ÁGUAS AMAZÔNICAS, s/d). A Figura 3 ilustra o mapa da Bacia Amazônica destacando as localizações geográficas onde a pesca comercial é realizada.

Figura 10 – Mapa com a localização e limites geográficos, destacando as principais regiões de pesca comercial da Bacia Amazônica. Fonte: Disponível em: http://pt.aguasamazonicas.org/pescarias/. Acesso em abril de 2019.

CONTINUA….LER RESTANTE DO ARTIGO EM REVISTA ESPECIALIZADA…..

Referenciar este artigo como:
AVELAR, Valter Gama de. GEOgrafando PELO rioMARzonas, A PORTA DE ENTRADA NA AMAZÔNIA. Dr. Valter Gama de Avelar (Coord. Grupo de Pesquisa GEOdiversidade do Amapá/GPGEO/UNIFAP). Disponível em:
https://valteravelar4geos.com/2019/03/13/geografando-pelo-riomarzonas-a-porta-de-entrada-na-amazonia/

Vídeo produzido no dia 12/03/2019, na orla beira rioMARzonas, na cidade de Macapá, na margem esquerda do rio, no Complexo Turístico do Araxá. Autor: Dr. Valter Gama de Avelar (GEÓlogo 4GEOs).
NASCENTE DO RIO AMAZONAS – Perfil Facebook de Floriano Lima – 2018

A Amazônia por Jacques Cousteau 001 – The Amazon Jungle by Jacques Cousteau – First Part.

A Amazônia por Jacques-Yves Cousteau 002 – Piranhas e Jacarés.

A Amazônia por Jacques Cousteau 003 – Piracema, Pororoca, Jacarés, Encontro das Águas.

A AMAZÔNIA POR JACQUES COUSTEAU – CAPÍTULO 004 – PIRACEMA E ANIMAIS DA FLORESTA.

Rio Negro, água escura a esquerda e rio Solimões, águas claras a direita . Fonte. http://www.ipaam.br

A Amazônia por Jacques-Yves Cousteau – Capítulo 05 – O Equilíbrio e Harmonia da Grande Floresta.
Categorias Educação, geociências, GEOciências, Sem categoriaTags , , , , , , , ,

12 comentários em “GEOgrafando PELO rioMARzonas, A PORTA DE ENTRADA NA AMAZÔNIA.

  1. José Maria Teixeira Leite 14 de março de 2019 — 07:08

    Parabéns… Ilustre Professor Dr Valter Avelar como carinhosamente chamamos de GeoProfesor. Alguns anos atrás o famoso navegador e pesquisador Jaques Custear. Navegou e fez pesquisa no Rio Amazonas dês da sua nascente até o término aí em Macapá e Santana cidades e o Rio um pouquinho mais adiante até no Oceano Atlântico. E nós falou que era preciso preservar e conservar este manancial aquático. Pouco se vê vem sendo destruído tanto o Rio com contaminações e florestas que fazem seu entorno. E nossos gestores muito pouco tem olhado pra isto. Como deveriam fazer nas cidades investimentos em esgotos tratados etç. Tomara que mude pra que no futuro nossos filhos e Netos venham possar usufruir desta Maravilha que é o nosso Rio Amazonas. Nosso e Do Mundo. Um GeoAbraço…!!!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Querido GEOamigo José Maria Teixeira…Gratidão é o que sinto por sua imensa consideração a este caboco marajoara…Saiba que você está contribuindo com a DEMOCRATIZAÇÃO DAS GEOciências…PRA QUEM PRECISA…DE GEOciências…E o Projeto GEOciências NAS ESCOLAS DO AMAPÁ…levará o GEOconhecimento para quem realmente precisa…as crianças…para que possamos construir um GERAÇÃO FUTURA SENSÍVEL AO MEIO AMBIENTE…GEOabraço

      Curtir

  2. Parabéns Valter! Sempre mostro o teu trabalho para o meu filho Mateus Xavier, mestrando na UFPA.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Querido amigo Milson Xavier de GEOsaudosas lembranças…quanto tempo?…mas que bom que o próprio tempo se encarrega de nos aproximar…Fico feliz pelo seu filho Mateu Xavier está fazendo mestrado na UFPA…é um GEOfilho? (GEÓlogo também….kkkkk)…que legal…MUITO ÊXITO NA SUA JORNADA E MAIS AINDA PARA Mateus Xavier que carrega um sobrenome de peso….GEOabraço e mui grato por você vibrar na mesma vibe que eu…você está ajudando a DEMOCRATIZAR A GEOciências…PARA QUE PRECISA…DE GEOciências

      Curtido por 1 pessoa

  3. Que ideia genial! Desta forma conseguimos compreender mais sobre o Rio Amazonas, rio de águas misteriosas, o que muitos não sabiam.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Querido filho amado Diogo que vibra na mesma vibe que eu…Que bom que compreendestes o valor do rioMARzonas…Precisas pesquisa Jacques-Yves Cousteau. Sugiro que assista ao vídeo em https://youtu.be/ZR-qQy7c270… para se maravilhar com o rio Amazonas… Você faz parte de um seleto time de bem feitores que estão ajudando a DEMOCRATIZAR AS GEOciências…PARA QUEM PRECISA… DE GEOciências. GEOabraço filhão amado

      Curtido por 1 pessoa

  4. Parabéns pela iniciativa de criar uma página para divulgar informações. É muito interessante ver o quanto o rio Amazonas é grande e ver um pouco do seu surgimento.

    Curtido por 1 pessoa

    1. OPA!!! Que maravilha meu querido e amado filho Lucas Avelar…que bom que pude contribuir com tua visão sobre o rioMARzonas…Obrigado por estar vibrando na mesma sintonia comigo…JUNTOS PODEMOS MUITO MAIS. GEOabraço

      Curtir

  5. Parabéns pelo trabalho, valorizando o nosso maravilhoso Rio Amazonas e mostrando sua origem e história, pude aprender e tirar curiosidades.

    Curtido por 1 pessoa

    1. ….vamos juntos eu e você Marina Batista avançando com as pás deste enorme moinho🌎🌎🌎🌎soprando vento muito forte para alcançar os que mais necessitam do GEOconhecimento….DEMOCRATIZAR AS GEOciências…PARA QUEM PRECISA…DE GEOciências…ESTE É O LEMA…GEOabraço

      Curtir

  6. Professor Valter! Parabéns pela brilhantismo de sua explanação. Contundente e recrudescedora. Profissionais assim que o Amapá deve ter sempre para o fortalecimento da ciência (geo) gráfica/lógica.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Nobre GEOprof. Jetro Tavares…a quem tive a honra de conhecer e trabalhar durante as intervenções do PIBID-Programa Institucional de Bolsa a Iniciação a Docência, nos idos tempos de 2010 e 2011, na EEEM Tiradentes…Momento de INTERAÇÃO UNIFAP/ESCOLA….GEOconhecimento e MUITO APRENDIZADO…O projeto frutificou e hoje alguns acadêmicos do Curso de GEOgrafia passaram por aquelas NOSSAS intervenções na disciplina de GEOgrafia….aGORA MESMO NA TURMA DE 2019…TENHO ALUNOS REMANESCENTES DAQUELA ÉPOCA….PARABÉNS PELO SEU BELÍSSIMO TRABALHO DE DIFUSÃO DO GEOconhecimento. GEOabraço

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close